quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

[Resenha] Carrie, a estranha @Suma_BR

Título original : Carrie
Título no Brasil : Carrie,a estranha
Autor : Stephen King
Editora : Suma de Letras
Número de págs : 164 







Um dos livros mais famosos do mestre do terror ganhou em 2013 duas capas novas, uma com o poster do filme e outra com uma Carrie meio contorcionista em um corredor que pode lembrar muitas histórias de terror que o mestre já escreveu. O bacana da nova edição é que temos um introdução do próprio Stephen King nos explicando como aquela história foi criada e chegou em nossas mãos.
Para os que sabem poucas coisas da vida de King é muito interessante, para quem já é fã como eu, vai vibrar em ver ele mesmo descrevendo uma história que até então só tinha o visto falando em entrevistas ao longo dessa carreira de sucesso.
Carrie como ele mesmo conta é baseado em duas pessoas que conheceu, meninas que infelizmente por causa do que chamamos hoje de bullying - sou de um tempo onde essa palavra não existia mas nem por isso era mais fácil fugir dos populares da escola - não puderam ver King as " defendendo" tão bem na história que vingaria milhões de pessoas que não se adequam aos padrões que a sociedade impõe e sabe-se lá porque alguns se acham donos do mundo e resolvem fazer da vida delas um inferno. Também foi lendo sobre telecinesia que King escreveu seu livro e deu força a um personagem que só era zoado por todos ao redor.
Vamos ao livro. Carrie tem apenas 16 anos, mas sua vida não é nada fácil, filha de um casal que via na religião desculpas para agir de modo insano ela foi criada diferente. Não tinha pai e sua mãe além de agir estranho com a filha como se por tê-la tivesse dado a luz a um pecado ambulante, ainda privava a de todas as informações normais que uma mãe passa para a filha. Carrie por exemplo não sabia o que era menstruar e até aquela idade sua mãe nunca tinha se preocupado que ela nunca o tivesse feito.
O que em adultos normais e sem sadismo por maldades geraria pena e os faria fazer de tudo para ajudarem a adolescente, na história vira mais um motivo para um grupo de meninas - as tais populares da escola - a ridicularizarem e rirem com o espanto que a menina sente ao ver que teve sua primeira regra.
King toca na ferida, o ser humano é mal e muitas vezes se alimenta de ver a mágoa que está causando no outro ser humano, como se aquilo o deixasse eufórico e com vontade de fazer ainda mais para machucar alguém que não lhe fez absolutamente nada.
No livro diferente dos três filmes que já fizeram sobre o livro, a protagonista sofrida é gordinha, o que a coloca em mais um motivo para rirem dela e lhe inventarem os mais perversos apelidos. 
Ao mesmo tempo que sentimos raiva das pessoas que a maltratam também nos causa um incômodo ver o como a mãe a trata. 
Carrie logo percebe que tem dons especiais,que pode mover as coisas e isso faz com que ao mesmo tempo ela o use quando precisa mas também se sinta amedrontada por não saber da onde vem o poder que tem.
Como muitos sabem, Carrie vai sofrer mais ainda no famoso baile de formatura de fim de ano de sua escola. Do alto do palco vai se sentir ainda mais o foco de toda atenção de uma escola que sempre a tratou como lixo e é de lá que aplaudimos sua vingança.
Nesse livro , não temos pena dos que as fizeram sofrer, cheguei a bater palmas quando lia o que acontecia com cada um daqueles que pelo prazer mórbido debochavam dela. 
Poderia ser só mais um livro comum falando de alguém com poderes que se vinga na hora certa, mas é muito mais do que isso, é um livro de Stephen King e não por acaso é considerado uma das melhores histórias que o mestre já escreveu! Como fã peço : por favor confiram! O livro é ainda melhor do que os filmes! Acreditem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)