quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Menina que via Filmes: Zumbilândia Atire Duas Vezes [Crítica]

🎬🎬🎬🎬 Título Original: Zombieland: Double Tap Título no Brasil: Zumbilândia Atire duas vezes Data de lançamento 24 de outubro de 2019 Direção: Ruben Fleischer Elenco: Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Emma Stone mais Gêneros Comédia , Terror, Ação Nacionalidade EUA
#210

[Resenha] Um caminho para a liberdade @intrinseca


📕Título Original: The Giver of Stars Título no Brasil: Um Caminho para a liberdade Autora: Jojo Moyes Tradução de Ana Rodrigues, Catharina Pinheiro, Julia Sobral Campos e Maria Carmelita Dias Editora Intrínseca Nº de págs: 366
#55

Meu Kindle novo - 10ª geração + Tour pela Biblioteca

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Menina que via Filmes: Rogeria - Senhor Astolfo Barroso PInto [Crítica]

Título nacional: Rogéria, Senhor Astolfo Barroso Pinto
Data de lançamento: 31 de outubro de 2019 (1h 22min)
Direção: Pedro Gui
Elenco entrevistado: Bibi Ferreira, Nany People, Betty Faria, Jô Soares, Aguinaldo Silva, Rita Cadillac e mais.
Gênero: Documentário, Biografia  
Nacionalidade: Brasil
por Gabriela Teixeira



O documentário de Pedro Gui é uma bonita homenagem à uma das mais famosas artistas transformistas do Brasil: Rogéria, ou Senhor Astolfo Barroso Pinto. A partir das entrevistas com amigos, familiares e a própria (gravada em 2016), intercaladas com reconstruções encenando momentos marcantes de sua vida, se constrói a perfeita imagem de quem era Rogéria, e Alfonso Pinto, e como estas duas figuras existiam com toda a paz em um só corpo. 
Há uma sutileza nas encenações que apresentam partes da vista da artista, passando bem ao expectador como era essa presença diferente de Astolfo/Rogéria. 

Menina que via Filmes: A Luz no fim do mundo [Crítica]


Título Original:  Light of my Life
Título no Brasil: A luz no fim do mundo
Data de lançamento 17 de outubro de 2019 (1h 59min)
Direção: Casey Affleck
Elenco: Casey Affleck, Elisabeth Moss, Anna Pniowsky mais
Gêneros Drama, Ficção científica
Nacionalidade EUA
por Larissa Rumiantzeff




Pode conter revelações sobre o enredo

O filme começa com uma cena longa: pai e filha deitados, ele contando para ela uma história improvisada antes de dormir. A propósito, só descobrimos que se trata de uma menina ao longo da cena. Apesar de longa, essa cena é importante e dita o tom do filme. Em seguida, vemos que estão em uma barraca de acampamento. 
A ficção distópica “A luz no fim do mundo” é situada em uma época e local indefinidos nos Estados UNidos, e conta a história desse pai (Casey Affleck), cujo nome não sabemos, que vive recluso na floresta com a filha, Rag (Anna Pniowsky). Os dois levam uma vida nômade e levantam acampamento sempre que alguém se aproxima. Sabemos, aos poucos, da pandemia de uma peste que quase dizimou a população feminina. . Sabemos também que foi essa mesma pandemia que matou a sua mãe (Elisabeth Moss), mas que, por algum motivo, Rag é imune a esse vírus. Não sabemos o motivo, pois nem o pai sabe. E sabemos, ao longo da história, que algumas mulheres estão escondidas em bunkers pelo país.