quinta-feira, 16 de julho de 2015

Menina que via Filmes : Eu Sei que Meu Primeiro Nome é Steven [Crítica]

Título Original : I Know My First Name is Steven
Diretor : Larry Elikann
Elenco : Cindy Pickett, John Ashton, Corin Nemec, etc
Formato : Filme para TV
Duração : 3h 3 min
Censura : 12 anos
Ano  : 1989




























Quando eu cismo com um tema fica difícil tira-lo da cabeça. Depois de ler e ver sobre o caso de Cleveland, pesquisei outros casos e o Steven Stayner apareceu em todos eles. Então procurei o livro que nunca foi lançado no Brasil, o filme também não. Só o encontrei no YouTube, onde atendendo pelo nome original e sem legendas de " I Know My First Name is Steven" o longa feito especialmente para a televisão americana , de 1989, tem mais de 3 horas de duração. 
O que causa mais espanto em toda a história talvez não seja somente o caso do menino ter ficado raptado por 7 anos e meio  ( 1972- 1980), mas sim e também a história ao redor dele. Vamos aos fatos : Steven tinha apenas 7 anos e ia sozinho para escola que ficava a alguma quadras de distância, em um país perigoso como o nosso já parece surreal que algum pai deixe seu filho ir só com essa idade para qualquer lugar. Seus pais , de classe média, tiveram mais 4 filhos ( fora Steven), 3 são meninas , ele e um irmão mais velho Cary ( atenção com esse irmão!).  Os pais brigam com Steven que parece o mais rebelde dos filhos, tudo porque depois de escola ele sempre para jogar bola e não vem direto para casa. 
O ATOR QUE FAZ PARNELL NO FILME
A primeira cena na verdade é com o sequestrador , perto do Natal ele observa crianças em uma loja e fala para um amigo dele  - que só podia ser louco como ele - que precisa de uma criança para ser feliz. Acontece que pro amigo ele fala que como eles sempre foram infelizes em casa vai salvar uma criança das garras dos pais que a maltratam e adotar a criança como filho. Parnell era completamente doente, pesquisando vi que ele já havia cometido abusos contra menores e mesmo assim foi solto, depois falam que é só aqui no Brasil que não tem justiça. 
Bom, o menino está voltando para casa quando os dois fingem ser da igreja e lhe oferecem uma carona para conversar com a mãe dele e saber se ela quer doar algo, ingênuo o menino entra no carro.
Dali para frente, diferente de outros crimes que já relatei por aqui, o menino não é amarrado, ele ganha outro nome , um cão e se mudam para que ninguém os encontre.
PARNELL E STEVEN NA VIDA REAL
Os pais ficam desesperados, mas pelo filme o pai mais do que a mãe, e passam assim a viver em função de acharem o garoto. Como Parnell fingia que ele era seu filho ninguém desconfia que ele na verdade sequestrou aquela criança, passa a chama-lo de Dennis e consegue até matricula-lo em uma escola local.
Muita coisa impressiona mas as respostas vem aos poucos. Steven é enganado por ele que alega que os pais não tinham mais condições de cria-lo e por isso lhe deram a guarda dele. Mesmo triste o menino aceita viver com aquele homem. O tal amigo dele chamado Murphy sai de cena e os dois passam a viver em locais diferentes de tempos em tempos.
O que o filme não mostra são os abusos sexuais sofridos, a princípio o próprio Steven alega não ter sofrido nada, mas com o tempo a verdade aparece.
Quando Steven tem uns 13 anos , ele está com os amigos em casa quando Parnell abusa de um deles, há uma denúncia, mas o safado se safa como se nada tivesse acontecido. Como Steven já era um menino de 14 anos, Parnell não se sentai mais atraído por ele , continuavam sendo tratados como pai e filho mas ele com a ajuda de um amigo adolescente sequestra Timmy White, um garotinho louro de apenas 5 anos!
PARNELL NO JULGAMENTO EM 2004
Quando Steven chega em casa e dá de cara com o garoto de cabelo pintado de preto, ele vê que na verdade Pharell o sequestrou, pois tudo que ele fala ao garoto, é na verdade o que falava para Steven, uma mentira.
Com pena do que o menino iria sofrer, ele espera que ele saia de casa e entrega o menino em uma delegacia. Como o policial vai atrás dele, acabam descobrindo quem ele é de verdade e o que o monstro sequestrador fez.
A primeira parte do filme termina com Parnell sendo preso e Steven voltando para sua família. Seu irmão mais velho parece esquecido pelos pais, trabalha em um posto de gasolina mas se sente meio abandonado por todos, mesmo assim trata muito bem o irmão que voltou.
Com Parnell preso, Steven tenta reaver sua vida, mas na escola é muito debochado, o lado bom é ter Jody ao seu lado ( ela acabaria se casando com ele e tendo 2 filhos) . Os pais parecem viver um mundo a parte, o pai se sente culpado e não quer prendê-lo em casa,a mãe acha que eles estão deixando o menino de lado.
STEVEN E TIMMY - NO FILME - OS ATORES QUE OS FIZERAM
No excesso de atenção a Steven eles esquecem os outros filhos.
Parnell acaba pegando somente 2 anos de cadeira pelo sequestro de Steven e nunca cumpriu pena alguma pelo abuso sexual. Para Timmy ele pegou 7 anos! As leis nos EUA mudaram depois desse caso. 
Infelizmente , como disse lá em cima, essa não é uma história com final feliz, veja como terminaram as histórias abaixo :
  • Steven viveu sua vida com medo de que Parnell viesse atrás dele, isso nunca aconteceu, mas aos 24 anos, no ano de lançamento desse filme ele sofreu um acidente de moto e morreu a caminho do hospital.
  • Parnell foi solto anos depois , continuou sendo um pedófilo nojento , aos 71 anos pediu que sua enfermeira lhe comprasse um menino de 4 anos, sabendo do passado do crápula, ela ajudou a polícia prende-lo, ele morreu em 2008 na cadeia.
  • Cary Stayner, o irmão mais velho, confessou em 1999 que matou 4 mulheres ( 3 americanas  1 argentina) enquanto trabalhava em um hotel próximo à Yosemite. Alegou que seus pais esqueceram dele o tornando um serial killer quando seu irmão desapareceu. 


STEVEN ( O REAL) CARREGANDO TIMMY NA ÉPOCA DO FIM DO SEQUESTRO DE AMBOS

7 comentários:

  1. Nossa, que vida triste e horrorosa pessoas sequestradas têm, e suas famílias. :'(

    ResponderExcluir
  2. Eu fico me perguntando o que leva o ser humano a fazer coisas assim. Mesmo sendo num país distante, é um ser humano..porque não dá pra chamar de animal, afinal, animais protegem os seus e nunca fariam algo semelhante!
    Quantas e quantas crianças passaram , passam e ainda vão passar por isso. É uma pena que filmes ou livros assim, sejam pouco divulgados. Informação ainda é um bom caminho!
    Procurarei para ver, com certeza!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Que Historia mais triste, pior é ter deturbado toda a infância de Steven, ele acreditando que seus pais o tinham doado. Tem coisas que nem acreditamos que existam e o doente era tão doente da mente q nem doido ele deixava de pensar em criança. Coitado dos pais do menino, ter um filho sumido e outro assassino :(

    ResponderExcluir
  4. Nossa mãe quanta história triste :(
    Queria que isso nem fosse história quanto mais realidade.
    Como pode existir gente tão ruim nesse mundo? Toda vez que eu vejo ou leio sobre relatos semelhantes fico me fazendo essa pergunta.
    Infelizmente essa história não teve final feliz =/
    Esse filme baseado em fatos reais nos faz ser muito mais atentos com os pequenos a nossa volta e, termos mais cuidado evitando que isso não ocorra com eles.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Credo, que história, triste.
    Só Jesus, viu?
    Que dó, e o duro que esse pedófilo tinha que ter sido cortados aos pedaços, nojento! Aff, que raiva!!!!

    ResponderExcluir
  6. EU VI ESSE FILME NA TV PAGA, A ALGUNS ANOS ATRÁS,MUITO TRISTE, TEVE UM EPISÓDIO NO LAW& ORDER QUE FOI BASEADO NESSE CASO,ACHO QUE PENAS SEVERAS DEVERIAM SER DADAS A ESSAS PESSOAS QUE DESTROEM TODA UMA FAMILIA,ME LEMBRO QUE O IRMÃO MAIS VELHO SE SENTIA CULPADO PELO DESAPARECIMENTO

    ResponderExcluir
  7. eu vi o documentário e fico chocada ainda hj com tudo, sobre o que vc comentou sobre o garoto ir sozinho pra escola ser surreal aqui no brasil, não é bem assim. Hj depois de tantos desaparecimentos e sequestros e mortes que aconteceram, assaltos e tudo mais, no mundo de hj é impossível deixar um filho, mesmo adolescente ficar andando sozinho, mas antigamente, nos anos 80 que foi a época da minha infancia, era muito normal a gente brincar na rua, ficar até tarde, ir e voltar sozinhos da escola ou com coleguinhas, enfim...era outra época e ninguém imaginava acontecer algo. Por isso tantas crianças desaparecidas, e com tudo isso hj isso diminuiu bastante, mas nas famílias mais pobres ainda é comum as crianças ficarem pela rua sozinhas. Muito triste tudo que aconteceu e anda acontecendo no mundo...se a gente for pensar muito nisso a gente pira!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)