sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Menina que via Filmes: A Passageira [Crítica]

Título Original: Magallanes
Título no Brasil: A Passageira
Data de lançamento 29 de setembro de 2016 (1h 45min)
Direção: Salvador del Solar
Elenco: Damian Alcazar, Magaly Solier, Federico Luppi mais
Gênero Drama

Nacionalidade Peru
Ano: 2014
Formato visto: avião Delta - vindo para Atlanta 







Não me recordo de ter visto algum filme peruano, acho na verdade que esse é o primeiro, e para minha felicidade em um voo cheio de alergia o filme me prendeu tanto que se espirrei não recordo de ter sido durante o tempo de exibição.
Magallanes ( Damian Alcazar) é um homem que aparenta ter uns 55 anos, barbudo e com um carro bem velho ele serve o Coronel ( Federico Luppi), alguém que já teve muito poder na vida mas que hoje com 90 anos está entrevado a uma cadeira de rodas sendo comsumido pelo Alzheimer, sendo assim ele mal sabe o que está se passando, não reconhece o filho ( Christian Meier) e ainda tem ataques durante os passeios cismando por exemplo com o sorveteiro que deve ser revistado. 
O que vamos descobrindo ao longo do tempo é que Magallanes e o coronel são unidos por muito mais do que voltas no carro do primeiro agora que o Coronel está debilitado. Quando não está servindo o senhor ele é taxista, e em uma dessas vezes ele pega a passageira Celina ( Magaly Solier), notavelmente incomodado ele faz de tudo para que ela não o reconheça, mas após essa corrida a vida dele mudará, e ele ficará fazendo de tudo para saber mais sobre a moça.
O que o espectador já sabe é que Celina foi vítima do Coronel quando tinha apenas 13 anos, mantendo a em cativeiro até os 14 anos. 
















Estuprada diariamente a menina conseguiu escapar e é com a aproximação dela com Magallanes que entendemos o que se passou de verdade. Mas claro que não contarei o filme inteiro aqui.
Vale perceber que tanto no Peru quanto em muitos países onde a ditadura faz parte da história, os coronéis eram homens acima do bem e do mal. 
O que Magallanes fará será para sair da extrema pobreza e ainda ajudar a moça que também sofre sem dinheiro, é chantagear o filho com as fotos que tem do pai com ela. Porém o que nos deixará intrigados é que a moça tem horror de Magallanes, apesar dele agir como se só a tivesse ajudado, o que nos deixa sem entender muito até que ela revele o mistério que envolve a relação dos dois.
Forte e com um final diferente do que estamos acostumados a ver, o filme é muito bom, de uma maneira que nos incomoda e nos questiona se a vida deve ser mesmo tão injusta. 







8 comentários:

  1. Nossa, nunca assisti um filme peruano, mas a sua crítica me prendeu bastante. Quem sabe eu não assista.

    Amei sua crítica. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Vou confessar que o filme não me chamou muito a atenção, o tema é bastante forte e eu tenho um estômago fraco, se é que me entende. De qualquer maneira, percebe-se a mensagem que o filme quer passar, e que tem um enredo bem diferente também.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Tenho um forte problema com filmes de drama... Os evito a todo custo rsrs não tenho muita paciência para o gênero. Gostei da sua resenha, mas ainda assim não me anima a assistir

    ResponderExcluir
  4. Sou viciada num bom drama. Ainda mais com tantos segredos assim. O cinema peruano não é divulgado muito não, aliás, quase nada. Mas pelo que li acima, tem coisa boa hein? Talvez seja hora de ficar mais de olho.
    Verei se tiver oportunidade!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Não lembro de ter visto algum filme peruano, esse me interessou bastante.

    Beijos ^_^

    ResponderExcluir
  6. Olá.
    Creio que nunca assisti um filme peruano, mas gostaria. Sempre é bom conhecer novas produções. O enredo traz um tema forte, porém interessante. Espero um dia poder assistir.
    Ótima resenha. Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Raffa!
    Bom ver filmes de outras nacionalidades sem muita tradição em produções cinematográficas se tornarem bons filmes de serem assistidos e com tema delicado.
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Oi tudo bom?
    Não conhecia o filme ainda, parece ser bom, não vi nenhum filme peruano também, fiquei curiosa para ver e saber que mistério envolve a relação dos dois, irei procurar para assistir.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)