terça-feira, 20 de novembro de 2018

Menina que via Filmes: Refém do Jogo [Crítica]




















Título Original: Final Score
Título no Brasil: Refém do Jogo
Data de lançamento 22 de novembro de 2018 (1h 44min)
Criador(es): Scott Mann
Elenco: Dave Bautista, Pierce Brosnan, Julian Cheung mais
Gêneros Suspense, Ação
Nacionalidade EUA
por Reinaldo Barros

Dave Bautista é Michael Knox, um ex-militar estadunidense numa corrida contra o tempo para salvar a “própria família” e a vida de milhares de torcedores que assistem a primeira partida da final da Champion’s League entre West Ham e Dínamo de Kiev. Um grupo de terroristas eslavos, para variar, está no estádio a procura do traidor de seu movimento separatista. Alguém aí ainda lembra da Criméia? Pois é, no começo foi o nome dela que me veio à cabeça.
 O grupo terrorista é liderado por Arkady (Ray Stevenson) que para achar o traidor planta dezenas de quilos de C4 – aquele mesmo – em diversas partes do estádio, incluindo debaixo da arquibancada dos torcedores do West Ham. 
Antes de continuar, só uma pequena observação, a tradução do título ficou melhor do que o original Final Score. Isso porque o protagonista detesta futebol, mas resolve levar a sua “sobrinha” Danni, pois esse era o passatempo preferido dela com o pai, quando estava vivo. Entretanto, todo mundo acaba meio que sequestrado pelos terroristas e só o Refém do Jogo pode salvar os 35 mil torcedores e sua “família”. Se as diversas aspas chamaram a sua atenção é porque provavelmente você deve ter se perguntado: Mas é ou não família? Sim, mas de coração. Michael Knox é um ex-militar e se aposentou após uma missão desastrosa, na qual todos os homens sob seu comando morreram, incluindo seu melhor amigo, quem considerava como irmão. Por conta dessa tragédia Knox passou a cuidar da família do amigo como se fosse um cunhado, um tio.
Essa culpa persegue Michael durante todo o filme e é o que o obriga a fazer as coisas mais arriscadas como andar de moto no telhado do estádio e trocar tiro com terroristas. Refém do Jogo é um filme ação, para quem gosta de entretenimento simples recheado com aqueles estereótipos de sempre. Um cidadão americano salvando o mundo das garras de vilões russos cruéis. Sobra até para os torcedores do Dínamo, que são representados como hooligans. Há também a discriminação contra árabes, eles até tentam suavizar com humor, mas não fica nada engraçado. Resumindo esse é aquele filme para você assistir sem ter que pensar, só mesmo ficar ali torcendo, ou não, para tudo dar certo no final.

* Nossos colunistas são voluntários e não recebem qualquer quantia do blog.
* A opinião do filme ou das resenhas pertence ao colaborador que se compromete a enviar uma crítica de sua autoria para ser publicada no blog e divulgada nas demais redes sociais.

*Cabine de imprensa à convite da distribuidora 

Um comentário:

  1. Adoro enredos assim, trazendo esse lance de salvar alguém! Gosto demais de cenas de ação, ainda mais quando parecem ser super bem feitas e claro, sem contar o time de atores, só monstro!!!
    Amo o trabalho de Brosnan e Cheung e com certeza, verei assim que for possível!!!
    Beijo

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)