domingo, 24 de janeiro de 2016

Menina que via Filmes : A Grande Aposta [Crítica]

Título Original : The Big Short
Título no Brasil : A Grande Aposta
Lançamento 14 de janeiro de 2016 (2h11min) 
Baseado no livro de Mark Willis 
Dirigido por Adam McKay
Com Christian Bale, Steve Carell, Ryan Gosling mais
Gênero Drama , Comédia , Biografia

Nacionalidade EUA










Está aí um filme que toda vez que passava o trailer eu dizia que queria ver e minha mãe torcia o nariz dizendo que esse ela  não veria de jeito nenhum. Para variar, minha mãe estava certa.
A Grande Aposta tem suas qualidades, mas não sendo do mercador financeiro acho bem difícil alguém amar esse filme e suas milhares de explicações sobre a crise americana de 2008.
Michael Burry ( Christian Bale, arrasando como sempre, não por acaso concorrendo ao Oscar de Melhor ator pela atuação) é um nerd bem estranho, vai  trabalhar de chinelos, fica descalço, usa bermudas e camisetas e é dono de uma empresa de médio porte que graças a sua visão está indo bem no mercado mas os investidores tomam um susto quando ele informa a todos que apostará na quebra do mercado imobiliário que ele acredita que irá acontecer em breve.
Boa parte de sua atuação se passa na sala de seu escritório , ouvindo uns bons rocks ( e aí soma-se a trilha sonora maravilhosa que inclui Guns n´Roses e Metallica) , batucando na mesa e recebendo esses investidores. 
Jared ( Ryan Gosling, moreno e de lentes de contato escuras) também percebe a oportunidade no mercado e passa a oferecer a seus clientes, o que mais aparece deles é ninguém menos que Steve Carell  no papel de Mark Braum , que é dono de uma corretora, casado com Marisa Tomei ( que aparece pouco) e que está sofrendo muito com o suicídio de seu irmão.
As coisas não andam bem para nenhum lado. O problema do filme é que ele parece um documentário, e os termos que usam são tão complicados que o diretor usa por exemplo a famosa cantora Selena Gomez para falar " a nossa língua" e entendermos melhor o que está se passando no filme. Sinceramente achei bem chato.
Por mais que a crise imobiliária americana já seja algo complexo, o filme lida de uma forma como se somente economistas estivessem assistindo...aí eles lembram do público em geral e colocam atrizes e cantoras para explicar para os leigos.

E você está se perguntando onde anda Brad Pitt? Ele está no papel de Ben Rickert , uma espécie de guru de Wall Street ( local onde fica a Bolsa de Valores de NY) . Faz pequenas aparições e nos deixa com sono, nem a beleza dele ajudou nesse filme. 
Os críticos de verdade claro, acharam o filme sensacional . Devem ter diploma de Economia por Harvard, para mim, que mal entendo um ciclo de ações, ficou chato. Para meu marido que é de TI também. E para um monte de pessoas que iam ao banheiro " dar um tempo" do filme e saíram falando mal, também.
Pode ser que funcione para muitos, para mim , não. 

4 comentários:

  1. Não entendi nada sobre o filme quando vi o trailer, imagino que entenderia menos ainda vendo o filme.
    Esse eu passo.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Rafa! Você é cinéfila como eu. Rs. Apesar de ser um tema difícil para nós que não somos da área, eu gostei muito do filme. Consegui entender o todo. Bjs Andreia www.mardevariedade.com

    ResponderExcluir
  3. Então...esses filmes que tem política, negócios e que se passam em cenários parados ou repetidos, acabam se tornando maçantes e desgastantes!
    E mesmo gostando demais do trabalho do Bale, ainda prefiro não ver por enquanto!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Pelo visto o melhor desse filme é a trilha sonora mesmo, filmes complicados não são pra mim! Bjão!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)