terça-feira, 17 de maio de 2016

Menina que via Filmes: Ele está de volta [Crítica]


Título Original: Er Ist Wieder Da
Título no Brasil: Ele está de volta
Baseado na obra de Timur Vermes
Direção: David Wnendt
Elenco: Oliver Masucii, Fabian Busch
Ano: 2015
Formato visto : Netflix
Duração : 1h56 m

Há algo de muito errado se você esperou de verdade rir com esse filme. Talvez as pessoas que imaginaram que era uma comédia ao ler o gênero em que foi classificado tenham esquecido que Adolf Hitler não é digno de piadas que tenham mais que 2 segundos de graça. Você pode começar a rir mas é só se lembrar de todas as atrocidades causadas pelo conhecido fuhrer para ter certeza de que o filme, ainda mais do que o livro, existe para nos lembrar em como o ser humano continua sendo facilmente manipulado e nos espanta quando eles falam o que pensam de verdade. 
E como me chocou ver o tanto que o populismo de Hitler se parece com os do Brasil, Argentina e Venezuela. 
Vamos à história. Adolf Hitler ( interpretado brilhantemente por Oliver Masucci) acorda em uma Berlim mudada, em pleno 2015 ele se espanta ao ver meninos jogando bola com roupas que não são a de sua época e logo vê que há algo de bem errado. Ao passear pelos principais obeliscos da cidade ele percebe que as pessoas tem atos estranhos, todos querem tirar fotos com eles em objetos que ele não conhece como celulares e um mímico briga com ele por estar roubando seu espaço. 
Ele afirma a todos que é Adolf Hitler, o que claro, ninguém acredita. O primeiro " amigo" que faz é um jornaleiro que lhe atualiza sobre tudo que perdeu e acha graça, para todos ele é um ator que não consegue sair do personagem. E até então o livro é igual, mas começam a partir daí a mudarem muitas coisas para o cinema que não me incomodou mas ficou bem diferente o livro. Dando de certa forma uma polêmica muito maior do que a exposta no livro. O que dizer quando ele encontra um jornalista doido por furos e enxerga nele uma verdadeira fonte de ouro com seus discursos?
A bem da verdade, assusta nos ver o como parece que todos os alemães se esqueceram do que Hitler fez, todos querem fotos e fazem o " Heil, Hitler" ao vê-lo, não deveriam odiá-lo? Prender alguém que faz qualquer tipo de " homenagem" ao carrasco nazista é o mínimo que se esperava dessas pessoas, mas o que vemos é o contrário, ele é venerado e faz muito sucesso. Quando todos começam a colocar suas ideias para fora é que acaba a esperança que restava na humanidade. O preconceito vem à tona contra africanos e muçulmanos. E o discurso de " defender os seus" é feito por Hitler ao comparar cães de raças distintas que não podemos cruzar. 
Como isso se parece com o Brasil? Em tudo. Na falta de líderes honestos, nos apegamos à qualquer criatura que em nome da " moral e dos bons costumes" pregue que a ditadura e todos seus malefícios foram  maravilhosos para o Brasil.
Como um filme alemão pode nos dar um soco imenso na boca do estômago? Parece feito para nós...mas aqui como lá, mesmo eles sendo o primeiro mundo, há um preconceito velado igual, uma falsa moralidade que assusta.

O filme tem um final inesperado, e um roteiro tão acertado que impressiona. Para resumo de crítica: Hitler não é para ter graça assim como homenagear carrascos sejam nazistas ou militares não deve ser feito. Mas isso não é algo que deveria ser dito ou ensinado, todos deveriam entender que não se pode gostar dos vilões, eles só tem graça nos filmes da Marvel e da DC, na Alemanha da segunda guerra ou no planalto, eles devem ser extintos e só citados para nos fazerem lembrar no como já erramos e não devemos nem podemos errar nunca mais.  Assistam, está no Netflix. 

6 comentários:

  1. Não sabia que já tinha no Netflix, vou dar uma olhada.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Eu já tinha olhado a chamada para este filme e fiquei me perguntando, como poderia existir comédia sobre Hitler.Por que é assim que classificam, comédia. E sinceramente? Nem puxei mais sobre o filme..achei de péssimo gosto. É parte da nossa história, mas que tem que ser tratado da forma cruel que foi. Não mudar ou enfeitar como se o cara merecesse algum tipo de riso.
    Prefiro não ver por enquanto...mesmo que fiquem tantas perguntas no ar.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Vou ver...mas chega dar nojo de toda essa situação...tanto aqui(Brasil) como lá (Alemanha,no filme),dá até a impressão que tudo que ele,Hitler , fez foi para o bem de alguém...
    Valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  4. Raffa, sua crítica a respeito do filme é perfeita, talvez seja a mais honesta que li, e a comparação feita com o nosso Brasil também não podia ser mais verdadeira...quero muito ver esse filme! Bjão!

    ResponderExcluir
  5. Amei a crítica, Raffa!
    Desde o lançamento do livro estou querendo ler, e agora me deu mais vontade ainda.
    Não sabia que o povo cultuaria tanto assim, mas faz sentindo levando em conta como alguns políticos terrivelmente corruptos e preconceituosos do BR são cultuados e "amados". Sem palavras , da até medo do nosso futuro.
    bjss

    ResponderExcluir
  6. Faz você refutar se nós aprendemos com o passado ou apenas acreditamos que estamos a salvo dele. Para refletirmos se podemos acreditar em um futuro melhor ou apenas o subestimar ingenuamente.

    https://rezenhando.wordpress.com/2016/06/14/rezenha-critica-ele-esta-de-volta-2015/

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)