quinta-feira, 9 de março de 2017

[Resenha] Pérola na Areia @bvbooks


























Título  Original: Pearl in the Sand
Título no Brasil: Pérola na Areia
Autora: Tessa Afshar
Número de págs: 349
#35

Quando recebemos esse livro de cortesia da BV BOOKS no evento da Aliança de Blogueiros foi um dos que mais esperava gostar! Amo histórias "árabes" passadas em locais com culturas diferentes da nossa. Mas minha concepção do que é perdoável ou não me fez achar a história mediana e me irritar com diversas partes.
Raabe é a protagonista desse drama que começa quando ela é uma adolescente de apenas 15 anos. Em uma seca pavorosa em Canaã, Jericó. Sua irmã já tinha cedido - nem sei se a palavra certa é essa ou vendido - o pobre do filho, um bebê indefeso para ser morto em um ritual ignorante que pedia aos deuses que chovesse no local e que tivessem fartura. Claro que de nada adiantou e Raabe surrealmente parecia ser a única que achava tudo aqui um tremendo absurdo. A mãe da criança disse que facilmente faria outro bebê, que bosta de mãe né?
Não sei que família e valores tem esse povo, porque depois de venderem um bebê para isso o pai de Raabe vendo que os homens se interessavam por ela a obriga a se prostituir. Sério gente, eu sei que parece novela mexicana, mas  foi o que aconteceu de verdade  nesse livro. O irmão dela até tenta mudar a cabeça do pai que é irredutível, eu teria fugido, matado o meu pai, sei lá...é pecado? Pecado com pecado né, porque mandar a filha transar por grana lindo não é.
Tirando meu momento revolta, ela acaba fazendo o que seu pai pede e fica 3 meses com um homem grotesco mas que não a agride. Mas quando é devolvida seu pai faz com que ela faça mais programas. 
Claro que a nossa protagonista Maria do Bairro de Canaã continua fazendo e entregando o dinheiro para família pior que todas as madrastas que já vimos da Disney. Mais velha e fazendo ainda programas ela abre seu próprio negócio - opa, é negócio mesmo gente, comércio, ficou estranho né essa frase - e vai acabar conhecendo um homem que a história quer que acredite que foi a vontade de Deus colocá-lo em sua vida depois de tanto sofrimento, e ela que jurou não gostar mais de homem algum se entregará.
Nem na teoria fica bonito achar que o que ela passou poderia ser vontade de alguém que sempre acreditei que quisesse nosso bem. Qual a necessidade de fazer alguém sofrer tanto?
Bom, não curti tanto, a autora coloca partes da Bíblia reiventadas para  justificar a "sofrência". Para mim não tinha necessidade, esse pai se fosse o meu ia comer muita areia do deserto.

7 comentários:

  1. Como um livro com uma capa tão bonita e talvez, com tudo para ser uma boa história acaba se tornando essa piada de mal gosto??
    Puxa...seria bem trágico se não tivesse sido bem cômico. Eu ri muito da sua resenha, mas não senti vontade nenhuma em ler o livro.rs
    Prefiro passar minha vez!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Não gostei nada desse livro, é a primeira vez que leio algo de um livro com a historia tão pesada, não vejo nem necessidade de ler uma coisa assim e também nem ter o trabalho de comprar, li muito com sua opinião e foi só isso que gostei.

    ResponderExcluir
  3. Que horror! Vou passar longe disso. Mulher abusada e sacrifício de criança não dá pra mim. Sem contar que na minha cabeça não entra, Deus querer tanto mal pra alguém. Maria do bairro de Canaã fo ótimo kkkkk

    ResponderExcluir
  4. Eu não conseguiria ler este livro...
    Ia ficar muito revoltada e largaria dele facilmente.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  5. Raffa!
    Cada povo tem sua cultura e nem todas são do nosso agrado ou entendimento.
    Deve ser um livro revoltante para nós ocidentais com cultura e crença bem diferente.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Nossa é como dizem "nunca julgue um livro pela capa"... Quem diria que capa tão linda iria ter uma história tão triste.
    :(

    ResponderExcluir
  7. Comprei esse livro e estou na metade. Estou amando e fui procurar resenhas e a primeira que encontrei foi a sua.
    Bom, acho que vale ressaltar que o livro tem trechos reais(Bíblia) e fictícios(autora).
    Como já li esse trecho na Bíblia e não há detalhes de informações, achei de uma inteligência incrível a autora criar o romance entre os personagens.
    E sim, a cultura daquela época sacrificavam animais, mulheres se prostituiam para os deuses e etc.
    Esse livro não é só romance...tem relatos históricos que merecem ser relevantes e vai muito além de Maria do Bairro.

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)