sexta-feira, 13 de outubro de 2017

[Festival do Rio 2017] A Comédia Divina [Crítica]

Título Original: A Comédia Divina
Baseado na obra de Machado de Assis
Data de lançamento 19 de outubro de 2017 (1h 38min)
Direção: Toni Venturi
Elenco: Murilo Rosa, Monica Iozzi, Thiago Mendonça mais
Gênero Comédia
Nacionalidade Brasil
#95assistido

#96criticado





 Finalmente consegui cobrir um filme no Festival do Rio 2017, e sendo cinema nacional fiquei mais animada ainda.
O que rolou no tapete vermelho eu conto para vocês abaixo, vamos primeiro à crítica do filme.
O longa que foi gravdo em 2014 mas chega aos cinemas brasileiros 3 anos depois, conta  a história do Diabo ( Murilo Rosa, ótimo no papel) que está entediado porque os humanos tem pecado pouco, junto com seu grupo ele planeja abrir uma igreja na Terra, aliás vale lembrar que do Inferno onde vive até a Terra ou até o céu ele apenas pega um elevador.
Sim, já adianto que não é filme para se levar a sério, é entretenimento. Não leve a fundo nem espere um roteiro perfeito.
Quando desce ele se depara com uma moça recém formada chamada Raquel ( Monica Iozzi), ela dormiu com seu paraninfo, o garanhã Mateus ( Dalton Vigh)  que é âncora de um jornal local.
Louca para crescer na carreira ela vê como uma grande oportunidade se candidatar à vaga da TV Mundo para ser jornalista, já que outra foi demitida, mas ela não esperava encontrar seu ex lucas ( Thiago Mendonça).
E o Diabo? Ele faz cenas divertidas debochando de nós humanos, funda uma Igreja para todos cometermos os 7 crimes capitais e ainda faz um pacto com Raquel que caso ela aceite terá tudo que quiser, mas terá que demitir seus melhores amigos na emissora.
 Dei boas risadas no cinema, achei que o Diabo de Murilo lembrou muito o Vald de Ney Latorraca que amo. Por essa razão o filme teve um gosto especial de lembranças por causa de VAMP, Juliana Alves faz uma diabinha que é pura tentação para os humanos e seu jeito sexy/macabro me lembrou o de Patrícia Travassos na mesma novela.
Outro ponto positivo é a Deus de Zezé Motta, serena, ela é uma mistura da Deus de Octavia Spencer em A Cabana com o de Morgan Freeman no filme Todo Poderoso, lembram?
Certamente  a crítica especializada não vai gostar, mas eu como fã de comédia com terror me diverti muito.
Assistam e me digam o que acharam, logo mais abaixo tem  o tapete vermelho e a crítica em vídeo para quem preferir.

O Tapete Vermelho
Já tinha comprado entradas para assistir ao filme com minha mãe, então recebi o email da assessoria do Festival do Rio, então  a Bianca foi cobrir o tapete vermelho!
Juntas, aguardamos os atores e o diretor chegarem no Estação Botafogo. Dia de semana, o cansaço era grande mas a alegria por finalmente ir a uma sessão de Gala do Festival era grande, vamos à tudo que vimos?
 Sim, pude conhecer os autores, vê-los sendo entrevistados, tirei fotos com quase todos e no início do filme ainda vimos eles falando com o público e explicando do que se tratava o filme, o diretor e os atores animaram a noite de todos e vimos cenas memoráveis.


 A pré estreia foi maravilhosa, a cena acima de Zezé e Murilo arrancou muitos aplausos.





Confiram a crítica em vídeo;


Um comentário:

  1. Raffa!
    Ter um diabo como o Murilo Rosa é tudo de bom, até eu queria ir para o inferno...kkk
    Brincadeiras a parte, deve ser um filme bem hilário e gostaria de assistir.
    Já ouviu falar a série Lúcifer? Achei o enredo um pouco parecido.
    Adorei as fotos, você aproveita tudo, né? Mais que certa.
    Um final de semana alegre e feliz!
    “Não há nada que faça um homem suspeitar tanto como o fato de saber pouco.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)