sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Menina que via Filmes: O Sacrifício do Cervo Sagrado [Crítica]

Título Original: The Killing Of A Sacred Deer
Título no Brasil: O sacrifício do cervo sagrado
Data de lançamento 8 de fevereiro de 2018 (2h 01min)
Direção: Yórgos Lánthimos
Elenco: Colin Farrell, Nicole Kidman, Barry Keoghan mais
Gêneros Drama, Fantasia

Nacionalidades Reino Unido, Irlanda
#14




por Raffa Fustagno

ESSA CRÍTICA TEM SPOILERS!!!! NÃO LEIA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU O FILME!!!
Não faça como eu: não vá ao cinema sem saber nada do diretor, apenas porque tem 2 atores que ama no elenco como Colin Farrell e Nicole Kidman. O filme foge e muito da maioria dos filmes que conhecemos com eles, aliás, faça melhor, veja filmes do diretor Yórgos Lánthimos e se curtir, encare esse filme no cinema.
Dito isso, ainda devo avisar que erroneamente escolhi esse filme para uma tarde chuvosa em família no Carnaval, levei minha sogra, marido e meus pais para o filme mais incomum que já assistiram. Ok, talvez eu tenha visto com meu pai outros filmes bem diferentes mas geralmente minha mãe é minha companhia para filmes europeus, romances e indicados ao Oscar.

Vamos ao filme, se você não assistiu e liga para spoilers a hora de parar de ler é agora!
O longa já começa com o cardiologista Steven ( Colin Farrell) operando um coração, a cena é forte, eu fechei os olhos...odeio cirurgias. Em seguida vemos ele se encontrando com um garoto, esse menino não é nada do que aparenta ser, ele se chama Martin ( Barry Keoghan) e aqui não vou dar o spoiler do que é esse menino na vida dele e porque ele se encontra escondido com o garoto lhe dando presentes caros, a descoberta é o melhor do filme, se você já assistiu, sabe do que estou falando.
Steven é um médico muito famoso em sua área, casado com uma oftamologista, Anna ( Nicole Kidman) e tem 2 filhos: Bob (Sonny Suljic) e a mais velha, Kim ( Raffey Cassidy). Do lado de fora aquela família é bem comum, um exemplo de família que beira à perfeição, todos lindos e educados, mas aos poucos o diretor vai revelando que há atitudes estranhas vindo de cada um deles.
Não somente do homem da casa que esconde a verdade de quem é Martin e o leva para dentro de sua casa para conhecer seus filhos sem perceber o mal que ele representará - o que para o espectador já era bem claro nas primeiras cenas, pelas atitudes e olhares dele- e a vida na casa também começa a demonstrar suas esquisitices quando há  uma cena de sexo onde o marido "ataca" a mulher que finge estar anestesiada, sim, eles fazem sexo dessa forma!

Fora isso, o filme trabalha com as preferências, é notório o como a mãe prefere o filho e o pai ama mais a filha.
Isso vai ficar ainda mais visível quando seus filhos pararem de andar, e é aí que vemos o como a menina é completamente fora da casinha. Ela muda de atitude por andar com Martin, e mesmo na cadeira de rodas não sente pena do irmão, que de acordo com a maldição mal explicada do filme  - na verdade nem é mal explicada, ela não é revelada em nenhum momento!- deverá morrer para os outros 3 serem salvos na casa.
Mas que pai ou mãe escolheriam um dos filhos? Lembra que falei sobre ele gostar mais da menina e Anna do filho? Mas...a decisão é do pai...surrealmente o que talvez esperamos é que nesse momento o pai se desespere e mate a ele e à família toda, mas não é o que acontece, lembrando que esse filme não é comum, então não espere nada previsível nele.
A mãe se oferece ao pai e avisa que podem escolher um dos filhos porque ela pode tentar inseminação artificial e fazerem outro...muito louco, certo?
Há muitas cenas que dão nervoso, a calma e o olhar de possuído de Martin são perfeitos para o papel, o ator nos irrita com seu jeito de que poderia fazer algo mas não quer para salvar a família e ainda ri da desgraça alheia...a razão sabemos, pelo menos quem viu o filme. Ah, sim, posso lembrar que ele vive só com a mãe que é ainda mais louca que ele? Aliás uma ponta de Alicia Silverstone, nossa eterna Patricinha de Beverly Hills, lembram dela como Cher?

Não aguarde cenas de drama, porque os personagens são muito frios, o pai talvez seja o que melhor expressa seu desespero, mas não há nenhum momento de afeto entre eles...é tudo mecânico, estranho...
Até o melhor amigo do pai que trabalha com ele como anestesista não vale nada, o que esperar dessas pessoas? O final é perturbador e não é o que nenhum espectador espera.
Confesso que saí do cinema com raiva do filme mas depois vendo outras críticas percebi que havia algum valor no que o diretor queria mostrar, tais como:
- Preferência entre filhos;
- Segredos que quando revelados podem acabar literalmente com o sonho de família perfeita;
- O poder de uma vingança
Já assistiram? Se sim, me contem o que acharam!

6 comentários:

  1. Admito que não tinha lido nadinha a respeito deste filme e confesso mais ainda, que nem sabia da existência dele..rs
    Mas fiquei intrigada ao ler a crítica e curiosa demais para ver que tanto de coisa errada um longa assim pode oferecer.
    Parece tudo muito doido e com certeza, depois de ter lido acima, irei procurar para conferir!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Não vou ler pq não vi o filme ainda kkkk
    Estou curiosa pra ver esse filme desde que vi o trailer, espero que seja bom...Bjs!!

    ResponderExcluir
  3. Raffa!
    E eu aqui já toda animada para poder assistir, porque amo os atores, mas é bem como falou, não depende apenas deles, depende de diretor e outros tantos fatores.
    Que filme louco e frio, afffee!
    E finalmente, escolheram qual para morrer?
    “Acredite na justiça, mas não a que emana dos demais e sim na tua própria.” (Código Samurai)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  4. Eu não vi o filme, mas li tudo acima. Não entendi muito sobre o que é o filme, vontade de ver o filme eu não tinha nenhuma, mas fiquei curiosa só pra entender o que li.

    Beijos ^_^

    ResponderExcluir
  5. Pela sua descrição sinceramente me pareceu um filme angustiante e perturbador pelas cenas demonstradas, e a forma como isto afeta tanto a relação familiar dos personagens, quanto a forma como trabalham. Demonstrando ser pessoas normais, que segue regras, padrões e normas, porém a fundo conhecemos são capazes de cometer atos horríveis. Sinceramente partindo dessa premissa não me senti atraída em assistir ao filme.

    Venha participar do Top Comentarista e concorra o livro "O Maravilhoso Bistrô Francês": http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Bom, acho que o filme pode ser definido como estranho. Se cair no meu colo eu assisto mas acho que não vou procurá-lo.

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)