segunda-feira, 28 de maio de 2018

Menina que via Filmes: Perdida [Crítica]

Título Original: Perdida
Direção: Alejandro Montiel
Ano: 2018
Produção: Argentina
Elenco: Luisana Lopilato, Amaia Salamanca, Rafael Spregelburd, Nicolás Furtado
Duração: 100 minutos
*Filme assistindo em Buenos Aires no Cinema Village Recoleta Mall
#70






por Raffa Fustagno

Vimos mais esse filme em Buenos Aires e a escolha foi óbvia, não queríamos ver filmes que passam facilmente no Brasil. Não conhecia nenhum dos atores apesar de ter lido muitas críticas de que eles são famosos na tv argentina.  Também soube pesquisando que é baseado em uma novela que passou na tv deles.
Pois bem, filme começado, conhecemos Manuela ou Pipa como é chamada interpretada pela atriz Luisana Lopilato. Bonita e destemida, já que ela é uma policial onde as locações da delegacia ficam em Puerto Madero onde visitamos no mesmo dia que vimos o filme. 

Logo nas primeiras cenas sabemos que ela não costuma ouvir muito seu chefe e investiga sem ter autorização, caso da menina que liberta que está dentro de uma casa, louvável sua atitude mas arriscada de acordo com seu superior.
Então descobrimos que ela tem um passado traumático, já que quando adolescente em uma viagem da escola sua melhor amiga sumiu, vemos a história em flashback e não entendemos muito bem o que se passou até que as peças vão se encaixando até o final.
Se o filme queria ser um bom suspense ele erra em algumas partes já que a parte dos vilões lembra muito novelas mexicanas, e nada contra, eu as amo, mas não funciona tão bem aquele drama todo de Maria do Bairro com os atores argentinos, fica caricato e sem graça.
A vilã que não citarei o nome por spoilers, trabalha mal, faz caras  e bocas  e tem um chefe pior ainda, sem contar no modelito que usa que parece mesmo saído de Uma Linda Mulher quando Julia Roberts ainda não tinha encontrado Gere. Até peruca arrisco dizer que ela usa.

Ainda que as cenas prendam a atenção, porque afinal de contas pistas vão surgindo pelo caminho e queremos saber onde foi parar Cornelia - sim, nome estranho para gente - , Pipa está focada em descobrir, ela repara até mesmo no cordão da amizade que usavam e com isso ela vai sabendo que há mais gente envolvida nesse sumiço e em um poderoso esquema que assusta, mas as atuações são sofríveis, então até mesmo as cenas que deveriam ser marcantes parecem saídas de um programa de humor.
Para mim a única atriz que se salvou na atuação foi a principal, os demais parecem que estão sendo dublados, achei um filme bem fraco. Minha nota de "bom" vai somente para a fotografia, a atuação da protagonista e o roteiro que é bonzinho. Nada mais do que isso.

3 comentários:

  1. Huum não consegui me interessar pelo filme...
    Talvez seja o tema abordado, não sei, não me cativou.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Que pena o filme não ser bom, poderia ter aproveitado mais se fosse um filme melhor né kkk mas faz parte ;)

    ResponderExcluir
  3. A peruca a gente já vê pela capa..rs
    Mas é ruim quando "jogamos fora" um bom tempo, vendo algo que não nos convence. Com certeza, não conhecia o filme e talvez nem chegue a conhecer né? Já que talvez nem venha para nosso país, mas...não perderemos muita coisa não!rs
    Beijo

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)