domingo, 17 de junho de 2018

Menina que via Filmes: Toro [Crítica]




























Título Original: Toro
Título no Brasil: Toro
Ano de lançamento: 2016
País: Espanha
Direção: Kike Maíllo
Elenco: Mario Casas, Luis Tosar, José Sacristán, Claudia Canal
Formato Visto Netflix
#81

por Raffa Fustagno

Já aviso que esse longa espanhol é muito violento, se você anda fugindo de filmes que lembrem nosso noticiário então esse filme não é uma boa pedida. 
Toro ( Mario Casas) é um bandido que pretende se aposentar da função e parar de trabalhar para o importante mafioso Romano ( José Sacristán). Quando tudo está indo bem ele é preso no que seria seu último trabalho para o chefe.
Na cadeia por bons anos ele não entrega nenhum de seus comparsas, o que faz com que seu irmão mais velho López ( Luis Tosar) continue vivendo do crime sem nem lembrar que o irmão existe. Toro só se importa agora em casar com a professora Estrella ( Ingrid Garcia Jonsson) que tem visto e feito planos durante suas saídas da cadeia já que está em prisão condicional.

Quando finalmente realiza o sonho de começar uma nova vida, seu irmão vacila com Romano, e isso envolverá sequestrarem sua sobrinha. Sem ver nenhuma outra opção ele vai atrás dos mafiosos para tentar fazer que perdoem a dívida do irmão e soltem a sobrinha mas claro que eles se recusam e o que vemos é uma fuga dos 3 fadada ao fracasso já que parece que a cidade inteira obedece ordens de Romano.

É um papel diferente dos que já vi de 2 dos atores espanhóis mais famosos do momento. Mario Casas que faz as vezes de galã normalmente dessa vez não faz nenhuma pose  e está focado em lutar pela sobrevivência da família. Tosar também está diferente, mas juntos eles rendem ótimas cenas de ação em um filme que pode chocar os mais frágeis por causa das cenas de violência extrema. Não pouparam nenhum sangue cinematográfico, há muitas mortes e Estrella vai sofrer muito com a decisão de seu namorado.
Não entra na lista de meus filmes favoritos dos atores mas vale a pena ser assistido para quem gosta do gênero ou para quem é fã deles.

5 comentários:

  1. Mesmo gostando muito de filmes de ação, fujo de filmes que tragam violência gratuita e este traz um festival de violência sem motivo.
    Não,não é ruim de forma alguma. Atuações, enredo... é tudo ágil demais. Mas...tem que curtir um sangue e o "bum" dos tiros.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Raffa.

    Acredito que por ter vidas em jogo, muita ação o filme cause uma certa apreensão, conforme o desenrolar dos fatos.

    Porém, infelizmente, não curto filmes assim.

    ResponderExcluir
  3. Raffa!
    Já anotei aqui, porque maridão anda viciado na netflix e esse é o filme típico que ele gosta de assistir, vou mostrar para ele.
    Desejo que a semana seja abençoado!
    “Nunca sei se quero descansar porque estou realmente cansada, ou se quero descansar para desistir. “ (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  4. Não curto muito filmes de máfia, acho que o único que gostei foram os do John Wick.
    Beijos ^_^

    ResponderExcluir
  5. Me chamou atenção pelo tema máfia, mas toda essa violência me deixou na dúvida se assisto ou não kkk

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)