sábado, 12 de outubro de 2019

Menina que via Filmes: Frans Krajcberg: Manifesto [Crítica]

Título Original: Frans Krajcberg: Manifesto
País: Brasil
Ano: 2018
Direção: Regina Jehá
Duração: 1h 36min
Gênero: Documentário
por Paulo Maurício Costa

O escultor, pintor e fotógrafo polonês naturalizado brasileiro Frans Krajcberg, falecido em 2017, aos 96 anos, tinha como principal foco a composição de obras de arte relacionadas ao meio ambiente, do qual era um astuto defensor. O realizador da série “Africana” - na qual associava pigmentos minerais a raízes, cipós e caules – tem seu retrato esboçado no documentário “Frans Krajcberg: Manifesto”, de Regina Jehá. Como o próprio título sugere, o filme centra a narrativa no embate pela natureza empreendido pelo artista em diversas regiões, especialmente a Amazônia.

Já com a saúde debilitada, ele surge inicialmente hesitante em conversar com a diretora, mas aos poucos relaxa e expõe o relicário de sua jornada em favor do meio ambiente brasileiro, terra que escolheu após ter sua família morta pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. As entrevistas conduzidas por Regina Jehá são pontuadas por imagens de arquivo e de outros filmes sobre Krajcberg, entre os quais um de Walter Salles (diretor de Central do Brasil). O perfil do escultor tem momentos peculiares no longa-metragem: é curioso acompanhar, por exemplo, sua revolta ao notar a disposição equivocada de suas obras num salão durante a 32ª Bienal de Arte de São Paulo, em 2016.
A despeito de seus méritos evidentes, especialmente a leveza na condução da montagem e a aparente despretensão, “Frans Krajcberg: Manifesto” peca ao não repousar seu olhar um pouco mais sobre o conjunto da obra do artista. A estrutura tradicional do documentário, somando entrevistas com pesquisa de arquivo, é suficiente para retratar o homem com distanciamento, longe do excesso de reverência, mas a obra de Krajcberg merece uma observação um tanto mais contundente.

4 comentários:

  1. Ainda não tinha lido ou visto nada sobre este documentário, mas fiquei bem interessada, até por não conhecer sua arte. Acho super importante quando nos abrimos ao Aprender!!!
    Se tiver oportunidade, verei!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o documentário e nem o artista, mas é tão bom saber que existem tantas pessoas lutando pela natureza e que usam de usas obras para isso

    ResponderExcluir
  3. Paulo!
    Deve ser u filme visivelmente agradável de assistir.
    Gosto de biografias.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Oiii ❤ Ainda não tinha ouvido falar desse documentário, mas agora que sei sobre o que se trata, fiquei interessada na obra.
    Gostei muito que as obras do autor são relacionadas ao meu ambiente, já que ele defende a preservação e que tem foco na Amazônia.
    Estou curiosa sobre as obras do autor, vou pesquisar sobre elas.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)