sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Menina que via Filmes: QUEM ME AMA, ME SEGUE! [Crítica]

Título Original:  Qui m'Aime Me Suive!
Título no Brasil: Quem Me Ama Me Segue
6 de fevereiro de 2020 / 1h 30min / Comédia
Direção: José Alcala
Elenco: Daniel Auteuil, Catherine Frot, Bernard Le Coq
Nacionalidade Francesa
por Bianca Silveira


Sinopse: Simone (Catherine Frot) e Gilbert (Daniel Auteuil), um casal de aposentados, vive em uma aldeia no sul da França. Após uma série de acontecimentos, como falta de dinheiro, a mudança do amante de Simone para outro lugar e as reclamações constantes de Gilbert, Simone decide simplesmente sair de casa. Agora, Gilbert está pronto para fazer qualquer coisa para ter sua esposa de volta.




Quem Me Ama Me Segue é uma comédia francesa com um pouco de drama que nos apresenta a vida de um casal em crise. Simone (Catherine Frot) é casada há mais de 30 anos com Gilbert (Daniel Auteuil), um velho rabugento e racista. Ètienn (Bernard Le Coq) é um velho amigo do casal, vizinho dos dois e amante de Simone, que resolve se mudar para um lugar mais tranquilo. Sem seu amante e sua filha por perto, Simone não aguenta a pressão e joga tudo para o alto e sai de casa ao mesmo tempo em que sua filha envia o neto para ela cuidar, porém ela não está lá. 
Gilbert não tem um bom relacionamento com a filha, e acaba tendo que cuidar do neto já que sua esposa o abandonou. Juntos, os dois partem em busca da avó e esposa, Simone.
O filme tenta mostrar o drama familiar de uma maneira bem leve e divertida, com um triângulo amoroso da terceira idade. Térence é o neto que aos poucos vai conseguindo transformar seu avô racista em uma pessoa minimamente amigável e o ajuda na busca pela avó. Como se passa no sul da França, o filme entrega paisagens lindíssimas durante a peregrinação em busca de seu amor
Com muita sutiliza o longa aborda diversas questões para se refletir, como as relações familiares, a relação conjugal já desgastada com o tempo, o racismo, a dificuldade de conviver com o novo e a vontade da mulher em ser livre e buscar o que lhe faz feliz independentemente da idade. Mesmo os protagonistas sendo pessoas mais maduras essa é uma agradável comédia para todas as idades.

3 comentários:

  1. Não vejo a hora de poder conferir este filme. Sei lá, dramas assim, de pessoas mais vividas é como uma identificação total!
    Pelo que li acima, não é apenas a questão do desgaste do relacionamento, mas também das mudanças, da esperança, da vida!
    Verei!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Acho legal quando trazer atores mais velhos para papéis que normalmente seriam de atores mais novos!! Fiquei curiosa para saber se essa mulher voltou para esse homem e o que ela fez enquanto estava fora ..

    ResponderExcluir
  3. Bianca!
    Embora não goste de triângulos amorosos, mesmo que na terceira idade, onde muitos acham que os idosos podem tudo, o fato de ser uma comédia e francesa, é interessante e fiquei interessada em assistir.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)