quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

[Resenha] Clint Eastwood - Nada Censurado @ednovafronteira

Título Original : American Rebel - The Life of Clint Eastwood
Título no Brasil : Clint Eastwood  - Nada Censurado
Autor : Marc Eliot
Editora Nova Fronteira
Número de págs: 371







Oitenta e quatro anos. Duas vezes ganhador do Oscar na categoria Melhor Diretor. Oito vezes indicado ao prêmio. Mais de 40 filmes no currículo como ator e/ou diretor. Por esses e outros motivos Clint Eastwood é um mito. Além de ter encantado e dormido com metade das mulheres americanas - o ator não era fiel em seus casamentos - ele fez uma legião de fãs ao redor do mundo.
Em Clint Eastwood - Nada Censurado  somos convidados em 371 páginas a conhecer mais do ator americano que se alistou para a guerra mas ficou vigiando atores em uma piscina. O homem que tinha medo de ter filhos e demorou exatos 15 anos para ter um filho com a primeira esposa Maggie mas que hoje soma uma prole de 7!
Casado no papel por duas vezes o astro não media esforços para ter todas as mulheres que queria, ao mesmo tempo viu o menino humilde que sonhou ser ator e se mudou para Los Angeles vencendo cada batalha e os estúdios lhe pagando cada vez mais para o terem em seus sets. Quem diria que quem começou tendo seu primeiro cachê de apenas 75 dólares fosse virar um dos astros mais bem sucedidos dos Estados Unidos . Contracenou com John Wayne, conheceu Marlon Brando, e fez filmes inesquecíveis com divas como Elisabeth Taylor, Catherine Deneuve - com quem teve um affair , e Meryl Streep. 
Destaque na biografia para a riqueza de detalhes de seus filmes, de cada passo dado na carreira até conseguir realizar outro desejo antigo que era ser diretor. E o fez tão bem que a Academia lhe deu o prêmio máximo por Os Imperdoáveis e Menina que Ouro. 
Tão amigo de Morgan Freeman que colocou o nome da filha mais nova do mesmo nome do amigo.
Se fez muitas mulheres chorarem, também pagou pelo bolso seu romance de anos com Sandra Locke, que acabou lhe processando e ganhando um bom dinheiro do ator. 
O livro não fala do romance que ele teve com a brasileira Sonia Braga, ela mesma já falou em entrevistas do envolvimento dos dois durante The Rookie .
 A relação com os filhos é pouco citada, somente no final sabemos que Dina Eastwood sua segunda esposa tentou de todas as formas unir todos os filhos. 
Em recentes entrevistas Clint disse que não pretende parar tão cedo, melhor para nós, o gênio da sétima arte se supera a cada filme, seu Sniper Americano é o filme mais visto de guerra nos EUA.
Palmas para ele, palmas para o autor, ótima biografia.

4 comentários:

  1. Clint é o que podemos chamar de dinossauro do cinema. Tanto como ator, como diretor. Acredito que ele seja como Conery ou Freeman(dois atores que amo de paixão) e é sempre bom conhecer mais a fundo a vida e a arte por trás dos grandes ídolos da nossa vida.
    Não conhecia o livro, mas gostei muito do que li acima e se tiver oportunidade, lerei !!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Não sou fã de biografias, mas acho que vou ler essa do Clint. Adorei todos os filmes dele que vi, tanto como diretor e como ator. Menina de Ouro é brilhante, amo esse filme. Adorei a dica. Muito obrigada!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Curto muito a leitura de biografias e memórias. Os meus preferidos são o "O Castelo de Vidro" e "O Diario de Mary Berg", mas enfim kkkkkkk Quando começei a ler este resenha já fiquei boba de quão extenso é este currículo dele. Um baita currículo aliás! Não sabia deste livro! Gostei muito, quero lê-lo sim. Só n sei se será muito em breve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Nunca li biografias, e não sou sou fã delas.
    Beijos

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)