quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Festival do Rio: A Ciambra [Crítica]

Título Original: Ciambra
Tíulo no Brasil: A Ciambra
País: Itália
Direção: Jonas Carpignano
Elenco: DAMIANO AMATO,  IOLANDA AMATO,  KOUDOUS SEIHON;
Gêneros: Drama;









por Naira Fustagno


Sinopse - Em A Ciambra, uma pequena comunidade romana na Calábria, Pio Amato não vê a hora de virar adulto. Aos 14 anos, ele já bebe, fuma e é um dos poucos a circular com facilidade entre os grupos da região: os italianos locais, os refugiados africanos e o grupo de ciganos Romani. Pio tem como referência seu irmão mais velho Cosimo, com quem aprende como se virar nas ruas de sua cidade natal. Quando Cosimo desaparece, Pio vê uma oportunidade para provar sua maturidade, mas logo se encontra diante de uma decisão que colocará tudo à prova

Crítica

Quando falamos em filmes italianos nos remetemos a filmes lindos e românticos, certo? Errado, os últimos filmes assitidos do país relatam uma Itália que não vemos nas viagens de amigos nem em relatos da mídia. É óbvio que o aumento de imigrantes sem nenhum controle fez com que muitos grupos se juntassem  e praticassem furtos e outros delitos em uma Itália sem muitas oportunidades de emprego, ainda mais para quem não tem nenhuma profissão específica ou diplomas válidos no país.
Mas afinal do que se trata A Ciambra? Escolhido  da Itália para ter uma indicação ao Oscar, com produção de Martin Scorsese o filme mostra a vida do adolescente Pio, que seria um jovem normal se não fosse as condições com que o vemos no filme, ele bebe, fuma, pratica furtos o tempo todo...
No Brasil sempre ouvimos casos de ciganos que leem a mão e praticam delitos, na Itália o grupo não é diferente. Impressiona ver que a lei deles é diferente, há valores distorcidos para o que temos na nossa realidade.
Sendo assim, o filme mais incomoda que agrada, talvez porque vivamos uma realidade parecida, nas comunidades com muitos jovens sendo aliciados para o tráfico.
Não assisti todos os filmes que vao concorrer mas o filme não me agradou tanto assim para que eu tivesse saído do cinema achando eu assisti um filme que valesse a indicação.

O protagonista se esforça, faz um bom trabalho, mas a história em si é um tanto quanto deprimente, e claro que acho qeu deva ser mostrada, mas repito, talvez porque nossa realidade já seja tão cruel, me senti incomodada de ver como os delitos tem outro peso para a vida de Pio. 

* filmes assistido no Festival do Rio- cabine de imprensa, em 09 de outubro de 2017 por Naira Fustagno. 

2 comentários:

  1. Oi Naiara, tudo bem?
    Ai que triste, é uma pena que o filme não tenha te agradado. Quando eles relatam realidades fortes é comum incomodar mesmo. Quando eu tiver um tempinho vou tentar assistir.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Naira!
    Bem, como tenho descendência italiana, sempre me interesso por tudo do país e filmes que retratam uma realidade que está longe do que a priori vemos por aí, deve ser ainda melhor.
    Um final de semana alegre e feliz!
    “Não há nada que faça um homem suspeitar tanto como o fato de saber pouco.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)