domingo, 5 de novembro de 2017

Menina que via Filmes: Depois Daquela Montanha [Crítica]

Título Original: The Mountain Between Us
Título no Brasil: Depois daquela montanha
Data de lançamento 2 de novembro de 2017 (1h 47min)
Baseado na obra de Charles Martin
Direção: Hany Abu-Assad
Elenco: Kate Winslet, Idris Elba, Beau Bridges mais
Gêneros Drama, Ação

Nacionalidade EUA
#103assistido
#104criticado


por Bianca Silveira
Um casal de estranhos até então luta pela sobrevivência após um acidente aéreo, que os isola em meio a montanhas congeladas. Ben Bass (Idris Elba) e Alex Martin (Kate Winslet) haviam embarcado em um voo alternativo após todos os outros serem cancelados por causa de uma tempestade. Ben é neurocirurgião e precisa chegar a tempo de uma cirurgia, já a fotógrafa Alex se casa no dia seguinte.
Feridos, praticamente sem comida (No meio de tanto gelo pelo menos água não vai faltar) e sem nenhuma perspectiva de resgate, pois o piloto não traçou nenhum plano de voo e eles não avisaram a ninguém que pegariam esse avião, os sobreviventes precisam decidir se esperam ou se procuram ajuda.


Cauteloso Ben insiste para permanecerem no local do acidente e esperarem pelo resgate, já a agitada Alex acredita, mesmo ferida, que ao partirem a procura de ajuda eles vão ter mais chances de sobreviver, uma vez que ninguém virá ajudar porque ninguém sabe onde estão.
Mesmo a trama sendo um clichê de romance em meio a tentativa de sobreviver em circunstâncias extremas é interessante ver como a relação dos dois se constrói de forma natural ao longo do filme. A atuação do casal chama atenção pela verdade. Os olhares realmente transmitem o sentimento se desenvolvendo.
O filme não tem muitos momentos de tensão e é bem realista ao mostrar os perigos enfrentados por eles no meio de tantas montanhas cobertas de neve. E mesmo nessa situação eles demonstram momentos de bom humor, algo que se somado ao mais novo elo entre os dois serve de combustível para seguirem em frente na busca pelo resgate.

*Filme assistido na cabine de imprensa à convite da  da Aliança de Blogueiros do RJ. 

* Nossos colunistas são voluntários e não recebem qualquer quantia do blog que não tem fins lucrativos.

* A opinião do filme ou das resenhas pertence ao colaborador que se compromete a enviar uma crítica de sua autoria para ser publicada no blog e divulgada nas demais redes sociais.






















por Raffa Fustagno

Você sabem que li o livro e que a expectativa para esse filme era imensa, apesar de algumas mudanças, começando pelo que é descrito no livro sobre os protagonistas mas nada que me fizesse achar que isso de fato arruinaria um livro tão bom quanto esse de Charles Martin!
A Bianca esteve na cabine de imprensa e eu fiquei louca para ir também, não aguentei nem saber que o filme teria pré no Festival do Rio, eu precisava ver o filme!
Então no feriado lá fui eu, com marido e meus pais já avisando que o filme se fosse como o livro não seria nada menos do que excelente, e me desculpem os críticos especializados, o filme é tudo e mais um pouco, com algumas mudanças mas ainda assim um senhor filme.
Se você acha a história boba, torce o nariz para que um acidente se transforme em uma história de amor, nem perca seu tempo lendo o livro e/ou vendo o filme. Tem tragédia sim e tem romance, e a moça do Titanic é perfeita para isso, certo? Alex ( Kate Winslet) é uma americana no filme, fotógrafa ela está indo de uma cidade a outra tentando voltar para NY onde seu noivo ( Demolt Muhoney) a aguarda para casarem no dia seguinte!
Acontece que uma nevasca acontece e todos os voos foram cancelados, no filme diferente do livro os momentos de tensão no local merecem segundos e logo ela já conhece Ben ( Idris Elba) um médico que está desesperado pois tem que operar uma criança também no próximo dia. O diálogo entre os dois é rápido o que parece tudo superficial no filme, a direção parece não querer perder tempo com detalhes, então os dois já combinam de irem em um mini avião - não sei como chama corretamente - para seus destinos, Walter ( Beau Bridges) acerta os detalhes e inclui seu cão no voo.
Sabemos o que irá acontecer: o voo não chegará a seu destino, Walter sofre um derrame e o avião cai no meio do nada, ou melhor, no meio da neve, os dois ficam feridos, ela mais do que ele.
Poderia ser um filme pavoroso de luta pela sobrevivência se fosse real, mas é ficção, então Alex vai ser salva diversas vezes pelo médico bonitão que não a abandonará nenhum segundo.
As cenas pedem um romance para quem curte o gênero, mas na verdade o autor mostra o como um desastre pode mudar a vida de 2 pessoas que nem se conheciam. Estariam eles mesmo apaixonados ou a carência do momento os teria unido?
Acompanhados sempre do cão que sobrevive eles passarão quase 1 mês juntos enfrentando neve, fome e quase morrendo, ela mais do que ele.
Comparado com o livro no filme faltam detalhes que fazem perder muito na história sim, mas discordo de quem achou o final brega e que não tenha entendido os dois atores aceitarem fazer esse filme. Kate e Idris são ingleses, no filme somente ele é britânico, ela faz um esforço para não falar com sotaque e achei o resultado muito bom.
É um filme romântico, se espera mais do que isso não terá, mas se você é como eu e ama adaptações de livros que amou, adora esses dois atores e consegue ver graça em finais felizes, corra para o cinema!

2 comentários:

  1. Oii!!
    Eu ainda não li o livro, mas vou correr pra ver o filme pq minha ansiedade é maior viu...
    Espero não me decepcionar...
    Bjs!!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)