sexta-feira, 10 de novembro de 2017

[Resenha] Toda as Garotas Desaparecidas @Verus_editora

Título no Brasil: Todas as Garotas Desaparecidas
Autora: Megan Miranda
Editora Verus
Número  de págs: 294


                                 por Bianca Silveira



O livro conta a história de Nicolette, uma jovem que depois de muitos anos volta a sua cidade natal para resolver assuntos do passado. Dez anos atrás sua melhor amiga do colegial, Corinne,  desapareceu sem deixar rastros. E após seu retorno à cidade mais uma menina desaparece sem deixar pistas, Annaleise Carter. O desaparecimento traz de volta todas as feridas do passado. Annalise foi seu álibi na época do sumiço de Corinne. Durante sua investigação sobre o novo desaparecimento Nicolette descobre segredos de seus amigos, familiares e o que realmente aconteceu com sua melhor amiga.

O livro prometia ser um suspense muito interessante. Adoro suspense. Mas ao começar a ler logo me decepcionei. A trama é contada cronologicamente de trás pra frente, o que também prometia ser uma forma inovadora de contar um suspense acabou me frustrando. A medida que o livro avançava aumentava meu desinteresse.  Como uma história de suspense poderia me prender se no próximo capítulo eu já sabia que não responderia a dúvida do capítulo anterior? Bom, continuei tentando e comecei a reparar nos furos que a história ia deixando pelo caminho. O que pra pra ser um suspense acabou se tornando entediante e não me dava vontade de continuar.
Nicolete é a protagonista da trama, ela volta para a sua cidade natal, uma cidade bem pequena, daquelas que todo mundo sabe da vida de todo mundo. Ela deixou a cidade logo após o desaparecimento de sua melhor amiga e ao voltar Annalise, que está saindo com seu ex-namorado da época, desaparece. Os desaparecimentos tinham uma ligação e vamos descobrindo isso aos poucos. Ela também luta para manter seu pai, que está internado em uma casa de repouso, longe das investigações pois isso afeta sua sanidade mental já fragilizada. Nicolette também tem um relacionamento meio frio com seu irmão que nunca saiu da cidade e ficou responsável por cuidar do pai doente. Ao longo da trama vamos descobrindo a outra face de todos os envolvidos no desaparecimento.
Em cada capítulo a autora solta uma pista que liga ao capítulo anterior e temos que ir juntando as peças. Com a trama sendo contada de trás pra frente, o final onde tudo é revelado na verdade era o começo o que torna todas as pistas anteriores sem sentido e ainda mais confusas.
Achei o livro no todo muito confuso e sem sentido algum. Confesso até que estou pensando em ler o livro na ordem cronológica correta para pegar todos os furos que ela deixou, mas acho que não consigo encarar o livro novamente.

*Bianca Silveira é bibliotecária e trabalha atualmente na UERJ. Ama livros, cinema, seus gatos, viajar pelo mundo e Harry Potter. Também curte tirar foto com famosos. Ela é colunista do A Menina que Comprava Livros desde outubro de 2017.
O livro resenhado foi ganho na Visita ao Grupo Editorial Record em parceria com a Aliança de Blogueiros Literários do RJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)