domingo, 16 de abril de 2017

Menina que via Filmes: A Cabana [Crítica]

Título Original: The Shack
Título no Brasil: A Cabana
Baseado na obra de William P Young
Data de lançamento 6 de abril de 2017 (2h 13min)
Direção: Stuart Hazeldine
Elenco: Sam Worthington, Octavia Spencer, Tim McGraw mais
Gênero Drama
Nacionalidade EUA

#57assistido

#58criticado



Para quem assim como eu já leu o livro de William P Young, falar de A Cabana e ver o filme não são grandes novidades. O diferencial de verdade é ver que nas telonas os atores escolhidos convencem no papel e isso ajuda muito, por mais que nos cinemas pareça um filme evangélico, quando na verdade é para qualquer religião cristã.
Mack Philips ( Sam Worthington) é um pai de família com 3 filhos , a mais nova Missy é uma graça e encanta  a todos. Certo dia eles vão para um piquinique em um parque florestal e ao tentar salvar os filhos mais velho que viraram em um bote a pequena desaparece.
Começa aí o desespero dele e dos espectadores que não leram o livro. Pensei que ficasse claro mas quem não conhecia o livro na mesma hora se assustou com mostrar na telona que a menina morre. Isso não é um spoiler, afinal a história consiste na busca de um pai pela menina, na dor ao encontrá-la sem vida e no que acontece depois em um contato do divino cheio de explicações para ele.
 Sim, ele recebe uma carta no auge de sua dor vinda de ninguém menos que Deus...e nesse filme Deus é Octavia Spencer que manda que ele retorne para Cabana para entender sua dor. O filme é bonito sim, apesar de da minha forma "revoltada"de ver certas coisas na vida não entendo porque meninas como Missy tem as vidas tiradas e nem sempre os crimes são pagos, e também tem o que sempre falo que não conseguiria, perdoar quem fez esse mal à menina. Mas é isso que ela e os demais na foto acima querem que Mack faça, logo ele um homem que teve a infância sofrida por ter um pai que bebia demais e batia na família e um segredo sobre isso que  no livro é mais claro do que no filme.
Muitos sentirão o mesmo que Mack, revolta e depois paz, eu prefiro dizer que é um bom filme, bem parecido com o livro e com as razões pelas quais se tornou um sucesso. Há de se perdoar? Sim, mas qual o limite? Para o autor, nenhum..perdão é perdão.  

5 comentários:

  1. Também já li o livro e não sei ao certo se gostei tanto assim. Sei lá, achava muito estranho as "conversas" com Deus..rs Deusa? Ah..sei lá!
    Sei que verei o filme e claro, a gente já fica meio com o pé atrás mesmo. Mas achei a escolha dos atores boa.
    Verei assim que possível!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Comecei a ler o livro mas parei na metade sei lá chegou um momento que começou a ficar confusa a história e não estava entendendo mais nada, vamos ver o filme eu quero assistir.
    Abraços!!!!

    ResponderExcluir
  3. Esse com certeza não li e nesse momento não leria, pois esse fim de semana uma filha de três anos de uma grande amiga faleceu afogada e não estou no clima de perceber essa história novamente em minha mente1

    ResponderExcluir
  4. Oi Raffa!
    Li o livro há tanto tempo,mas lembro que gostei muito.Fui ver o filme com a certeza que iria curtir bastante e como curti.Um filme com altas mensagens,ensinamentos e emoção.Mostra o quanto temos a aprender e a evoluir.Octavia Spencer está brilhante no papel de Deus!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Não li o livro, mas muita gente fala muito bem dele, não sei se lerei algum dia, agora não é o momento, mas quem sabe daqui uns anos ^_^
    O filme devo ver antes ^_^
    Beijos :)

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)