sábado, 16 de março de 2019

Menina que via Filmes: Um Ato de Esperança [Crítica]

Título Original: The Children Act
Título no Brasil; Um ato de esperança
Data de lançamento 21 de março de 2019 (1h 46min)
Direção: Richard Eyre
Elenco: Emma Thompson, Stanley Tucci, Fionn Whitehead 
Gêneros Drama, Crime
Nacionalidade Reino Unido
por Cecilia Mouta

Baseado no livro de mesmo nome, Um Ato de Esperança nos conta a história de Fiona Mayer (Emma Thompson), uma juíza britânica que tem sempre em mãos casos polêmicos para resolver. Mas ao se deparar com um caso de um menor de idade, sua vida parece virar do avesso. 
É surpreendente a simetria visual que o filme nos traz. É tudo muito geométrico e isso nos passa a ideia de ordem, algo bem importante para quem trabalha com a justiça. Fiona é uma workaholic e, por isso, acaba levando o seu casamento à beira do fim. A vida como juíza lhe consome demais. 

O longa traz reflexões bem pertinentes em relação à moral. A própria personagem Fiona declara que suas decisões na corte são pelo que é certo e não pelo que é moral. 
A atuação de Emma Thompson está incrível, desenvolvendo uma juíza que, ao mesmo tempo, parece fria e distante com seus sentimentos e, de repente, está imersa num turbilhão deles. É nítido, em algumas cenas, a luta da personagem para se permitir ou não sentir o que quer sentir. Fiona não sabe não ser juíza, sua postura em casa é a mesma que no tribunal. Já Fionn Whitehead, o Adam Henry, o menino de 17 anos julgado pela juíza, faz um trabalho incrível na transformação do personagem. É nítida toda a confusão na cabeça do jovem, todas as suas dúvidas, as suas confusões entre fantasia e realidade. 

Uma história envolvente, cheia de drama, com uma trilha sonora que valoriza o potencial de cada cena, Um Ato de Esperança nos mostra uma Londres que não somos habituados a ver nos cinemas. Nos mostra rotinas e personagens que não são muito populares no cinema. Com um desfecho condizente, o longa nos mergulha na vida desses personagens e é difícil não se emocionar. Um filme simples e muito tocante.

*Cabine de imprensa à convite da distribuidora
*Nossos colunistas são voluntários, os textos assinados por eles são originais de suas autorias. 

5 comentários:

  1. Não vejo a hora de poder conferir este super lançamento!!! As vezes, decisões precisam ser racionais e não emocionais e isso tudo é o que faz a diferença!
    Emma é incrível e pelo que li acima, arrasa novamente!
    Verei!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Minha lista de filmes para assistir cresce a cada crítica que leio ou assisto kkkkkk gostei, fiquei curiosa para assistir.

    ResponderExcluir
  3. Cecília!
    Amo filme que envolvem justiça e ética e saber que aqui há um conflito na juiza interpretada pela maravilhosa Emma Thampson, já quero e nem sabia que tinha o livro, vou em busca também.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Não sabia que é inspirado em livro. Só pela capa do filme eu já queria assistir. Gosto muito de filme com uma abordagem mais séria do assunto, acho que nos marca mais, fica mais crível.

    ResponderExcluir
  5. Achei interessante, vou tentar ver o filme.

    Beijos 😊

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim! Me diga o que achou dessa postagem e se quiser que eu visite seu blog, informe o abaixo de sua assinatura ;)